17 fevereiro 2011

Nem tudo na aviação é apenas passageiro...

Hoje sai de Florianopolis as 06h e cheguei há pouco em Rio Branco (Acre). Me lembrei da primeira vez que estive aqui e resolvi republicar um texto que já tinha escrito sobre aquele voo.

Fevereiro de 2009. Saí para um voo de dois dias. São Paulo - Rio Branco com escala em Brasília. Quando cheguei ao aeroporto, descobri que a minha tripulação era composta por mais duas colegas que trabalharam comigo em uma outra empresa, Ju e Vivi, perfeito.

O avião estava parado na remota, ou seja, no pátio, e os passageiros chegam em ônibus. É o embarque em conta gotas. Enquanto aguardávamos o último ônibus, passei pelo corredor e vi uma máquina fotográfica muito bacana na mão de um passageiro. Fui conversar com ele, adoro fotos.
Durante o voo conversamos mais até que ele me perguntou:
- Você é a autora do livro da Comissária de Bordo?
Fiquei totalmente sem jeito, isso nunca tinha me acontecido antes.
Acabamos trocando contatos e começamos a nos falar a partir daquele dia.
Eu sempre digo para minhas amigas que tudo tem um porquê. Que por mais que as coisas não tenham acontecido como planejamos, sempre encontramos uma resposta para qualquer situação.
Nesse caso não foi diferente.
Sabe quando você escreve uma cartinha para o Papai do Céu pedindo um namorado e, coloca ali todas as características que você quer que esse homem tenha? Para mim só faltou vir embrulhado para presente.
Conto de fadas não existe e, basicamente, a convivência entre duas pessoas praticamente idênticas se torna insustentável. Não durou muito tempo.
Mas hoje tenho a resposta.
Esse arcanjo de cabelos encaracolados me lembrou que eu tinha mais uma vocação. Me fez voltar a escrever, me motivou a terminar a faculdade, acreditar no meu potencial e ampliar meu horizonte.
Hoje eu acredito que posso chegar muito mais longe, não acredito mais em declarações de amor no calor de um momento, acredito que nunca é tarde para recomeçar e não acredito que um amor não possa virar uma grande amizade.
Esse passageiro mudou a minha vida em todos os sentidos. E não apenas passou. Veio e ficou como um grande amigo.

5 comentários:

Cristiano disse...

Então aproveite e pegue o arcanjo... os esteriótipos postos nas nossas cabeças pelos que comandam a mídia nos fazem usar palavras automáticas para descrever coisas que elas não descrevem, daí o desgaste, a falta de entender o que está indo errado e a separação.

Fico triste ao ver uma comissária solteira.

Um abraço,

Cristiano

Simara disse...

Aii que lindo Paula!

Amei essa história!
Beijos

Renata Pinheiro disse...

Olá. Passei a conhecer seu blog agora e já me encantei. Tenho 17 anos e quero muito me tornar comissária. Acho uma profissão linda. Parabéns pelo blog, vou colocá-lo nos meus favoritos e visitá-lo continuamente. Beijos e sucesso!

bru disse...

muito legal já concluir o curso de comissaria mais falta fazer o examje da anac "não tenho coragem"

Luana disse...

Olá Paula,
Muito linda a história, emocionante. Adoro seu blog e sempre que posso vejo se tem novidades ou leio as antigas de novo.
Estou terminando o curso em dezembro e com fé em Deus, até o ano que vem possamos voar juntas. Gosto muito de você antes mesmo de conhece-la ou de ve-la rs. Beijokas!!!